USP ensina Sociologia

trabalho

Questões agrárias

CÂNDIDO, Antonio. Os parceiros de Rio Bonito. São Paulo: Duas Cidades/ Editora 34, 2003.

CODAF. “A importância da agricultura Familiar”. Disponível em: <http://codaf.tupa.unesp.br/informacoes/a-importancia-da-agricultura-familiar>. Acesso em: 21 de junho de 2016.

LEAL, Victor Nunes. Coronelismo, enxada e voto. São Paulo: Alfa-Ômega, 1978.

MARTINS, José de Souza. Os camponeses e a política no Brasil. Petrópolis: Vozes,1995.

________. O cativeiro da terra. São Paulo: Hucitec, 1996.
________. “Novas leis antigas”. O Estado de S. Paulo, 03 de junho de 2012. Disponível em: <http://alias.estadao.com.br/noticias/geral,novas-leis-antigas-imp-,881699>. Acesso em: 21 de junho de 2016.

MOURA, Margarida Maria. Camponeses. São Paulo: Ática, 1986.

OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino de. Modo de Produção Capitalista, Agricultura e Reforma Agrária. São Paulo: FFLCH/Labur Edições, 2007.

________. “Os posseiros voltam a assumir o protagonismo da luta camponesa pela terra no Brasil”. In: Conflitos no Campo Brasil 2010. Goiânia, Comissão Pastoral da Terra, 2010.

 

Breve panorama do jovem no mercado de trabalho

______________________________________________________________

Breve panorama do jovem no mercado de trabalho
autor: Bruno Ranieri

junho / 2012

 

Segundo dados recentes do IBGE (2008), grande parte dos desempregados brasileiros constitui-se de jovens entre 16 e 29 anos de idade. Diante de tal fato, o presente trabalho tem por objetivo levantar um breve panorama a respeito da situação da juventude no atual mercado de trabalho e analisar qual o lugar social em que o jovem se insere na sociedade brasileira.

Texto - Atividades didáticas

______________________________________________________________

Novas condições de trabalho flexível e efeitos individuais

______________________________________________________________

Novas condições de trabalho flexível e efeitos individuais:  identidade pessoal, caráter, ansiedade, tensão emocional e condições de saúde
autora: Natália Nóbrega de Mello (lattes)

junho / 2011

Este texto discute as recentes transformações econômicas, gerenciais e trabalhistas, contrastando análises macro desse fenômeno, no Brasil e no mundo, feitas pelo economista Márcio Pochmann, com as análises micro do sociólogo Richard Sennett a respeito dos efeitos individuais da flexibilidade no atual mundo do trabalho, que afeta a própria identidade pessoal e a estabilidade psíquica dos trabalhadores.

Texto - Atividades didáticas

______________________________________________________________

Localização

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
R. Prof. Luciano Gualberto, 315
Prédio de Ciências Sociais e Filosofia -  2o. andar - sala  13
Cidade Universitária - São Paulo - SP
 
 

Website melhor visualizado nos navegadores Firefox 3
ou superior e Google Chrome
Desenvolvido por: Regina Cariello