USP ensina Sociologia

Cultura e Arte

A cura de ser quem somos: Atravessar o horizonte na base das palavras - Um olhar sobre o movimento de slam poetry em São Paulo

Autora: Luiza Borba Chiesa

dezembro/2019 (revisto para publicação em agosto/2020)

Neste texto, pretendo levantar algumas reflexões sobre os processos complexos e não fixos com que slammers no atual movimento de slam poetry em São Paulo “curam” a si através da palavra, construindo suas subjetividades por meio de redes de ressignificação de i) territórios, ii) moralidades, iii) e da posição esperada para seus corpos pelo pensamento do outro-hegemônico, na construção de narrativas que desestabilizam a ordem das coisas e disputam espaços pela ampliação dos horizontes imaginados para corpos marginais e periféricos. Como, na poesia, cenário, atores e regras se articulam produzindo sentidos e demarcando relações de pertencimento e diferenciação que constroem subjetividades?

Texto - Atividades didáticas

________________________________________________

Para além do Gosto: As classificações simbólicas na estrutura social

Autora: Sandy Sthephany Gomes de Oliveira

dezembro/2019 (revisto para publicação em agosto/2020)

O presente artigo busca realizar, ainda que breve, uma revisão bibliográfica sobre dominação simbólica à luz da discussão canonizada por Pierre Bourdieu. O esforço de empreender a revisão de parte dessa extensa literatura busca apresentar, de maneira sucinta, os principais conceitos que constituem a obra de Bourdieu. O primeiro movimento parte da compreensão dos instrumentos de apreensão da realidade social, isto é, conforme aponta Bourdieu (1989), a produção de ideias e concepções do mundo social é determinada por um sistema simbólico. A construção deste aparato cognitivo é produzida e apropriada por determinados grupos. Neste sentido, é possível questionar se as estratégias orientadas pelos agentes possuem certa competência política, ou seja, se conseguem produzir classificações simbólicas segundo as posições dos produtores na estrutura social (BOURDIEU, 1989).

Texto - Atividades didáticas

________________________________________________

A gênese, o desenvolvimento e a atualidade do conceito de Indústria Cultural

Autor: Lucas Fiaschetti Estevez

junho/2019

Quando a sociologia se dedica ao estudo da cultura de massas, usualmente o debate sobre a “indústria cultural” se coloca, a partir de referências aos escritos de Theodor Adorno e, principalmente, ao capítulo seminal da obra Dialética do Esclarecimento, escrito juntamente com Max Horkheimer, sob o título de A Indústria Cultural: o Esclarecimento como Mistificação das Massas. Assim, seu uso está atrelado à tradição intelectual da Escola de Frankfurt, tal como as aproximações que são feitas entre tal corrente e a sociologia da cultura.

Texto - Atividades didáticas

Localização

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
R. Prof. Luciano Gualberto, 315
Prédio de Ciências Sociais e Filosofia -  2o. andar - sala  13
Cidade Universitária - São Paulo - SP
 
 

Website melhor visualizado nos navegadores Firefox 3
ou superior e Google Chrome
Desenvolvido por: Regina Cariello

 

Powered by Drupal