USP ensina Sociologia

Classes sociais

Classes sociais: abordagens clássicas e desenvolvimentos contemporâneos
Autor: Ilan Lapyda

junho / 2014

O esforço de compreender quais grupos sociais compõe determinada sociedade constitui-se em um ponto-chave para a sociologia. Uma boa análise de estratificação social possibilita, entre outras coisas, uma melhor apreensão das relações de poder/ dominação e de exploração existentes no seio de uma sociedade. Nesse sentido, tanto autores clássicos como contemporâneos se debruçaram profundamente sobre o tema. Este texto busca revisar parte dessa extensa literatura visando apresentar de forma sistematizada as concepções clássicas de "classe" e uma discussão mais contemporânea tributária dessa tradição. De início, é feita uma crítica ao economicismo de uma divisão de classes por renda, dado que esta, embora forneça informações importantes a respeito da estrutura social, é insuficiente em termos sociológicos. Em seguida, são apresentadas as concepções de Marx e Weber sobre as divisões sociais valendo-se de textos importantes dos dois autores. Por fim, busca-se retomar discussões mais contemporâneas sobre estratificação social que se reportam aos autores clássicos. Primeramente, são discutidos trabalhos das correntes "neomarxistas" e "neoweberianas" (Erik O. Wright e John Goldthorpe respectivamente). Em seguida, comenta-se a teoria de Pierre Bourdieu, que inclui a dimensão simbólica na definição das classes sociais.

TextoAtividades didáticas

______________________________________________________________

Localização

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
R. Prof. Luciano Gualberto, 315
Prédio de Ciências Sociais e Filosofia -  2o. andar - sala  13
Cidade Universitária - São Paulo - SP
 
 

Website melhor visualizado nos navegadores Firefox 3
ou superior e Google Chrome
Desenvolvido por: Regina Cariello