USP ensina Sociologia

Ciência Política

_____________________________________________________________

ARAÚJO, Marcelo e SANCHEZ, O. A. (2005). A corrupção e os controles internos do estado. Lua Nova, São Paulo, vol. 65, p. 233-238.

BEZERRA, Marcos Otavio. (1995). Corrupção : um estudo sobre poder público e relações pessoais no Brasil. Rio de Janeiro: Relume Dumará: ANPOCS..

BOBBIO, N. et al. (Orgs.)(2006). Dicionário de política. Brasília: EdUnB.

CADAH, Lucas Q.; CENTURIONE, Danilo de Pádua. (2010). As CPIs acabam em pizza? Uma resposta sobre o desempenho das comissões parlamentares de inquérito no presidencialismo de coalizão. In: MOISÉS, José Álvaro (Org.). O papel do Congresso Nacional no presidencialismo de coalizão. Rio de Janeiro: Konrad-Adenauer-Stiftung, p. 7-29.

FIGUEIREDO, Argelina de. (2001). Instituições e Política no Controle do Executivo. DADOS—Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, v. 44, n. 4, p. 689-727.

FISCHER, F.; MILLER, G.J.; SIDNEY, M.S. (2007). Handbook of public policy analysis: theory, politics and methods. Boca Raton: CRC Press.

FONSECA, F., ANTUNES, F. e SANCHES, O. (2002). Os controles Internos. In: SPECK, Bruno Wilhelm (Org.), Caminhos da transparência: análise dos componentes de um sistema nacional de integridade. Campinas: Editora da Unicamp.

FREY, K. (2000).  Políticas públicas: um debate conceitual e reflexões referentes à prática da análise de políticas públicas no Brasil, Planejamento e Políticas Públicas, Brasília, n. 21, p. 211-260, jun. 2000. Acesso em: 14 ago. 2011. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/ppp/index.php/PPP/article/viewFile/89/158>.

HOROCHOVSKI, Rodrigo Rossi. (2008). Accountability e seus mecanismos: um balanço teórico. 6º ENCONTRO DA ABCP, 2008, Campinas. Anais... , Campinas: ABCP.

LASWELL, H.D. (1951). The policy sciences. Stanford: Stanford University Press.

MANIN, Bernard; PRZEWORSKI, Adam; STOKES, Susan C. (2006). Eleições e representação. Lua Nova, São Paulo, v. 67, p. 105-138.

MARIA, João F. A. (2010). Desenho institucional e accountability: pressupostos normativos da teoria minimalista. Rev. Sociol. Polít., Curitiba, v. 18, n. 35, p. 27-40, Fev. 2010.

MELO, M. A. (2007). O viés majoritário na Política Comparada: Responsabilização, desenho institucional e qualidade democrática. RBCS, v. 22, n. 63, Fev. 2007.

MIGUEL, Luis Felipe; COUTINHO, Aline de Almeida. (2007). A crise e suas fronteiras: oito meses de mensalão nos editoriais dos jornais. Opinião Pública, Campinas, v. 13, n. 1, p.97-123, Jun. 2007.

MOISÉS, José Álvaro. (2010a). A Corrupção Afeta a Qualidade da Democracia?  Em debate - Periódico de Opinião Pública e Conjuntura Política, Belo Horizonte, v. 2, n. 5, Mai.
______. (2010b). O desempenho do Congresso Nacional no presidencialismo de coalizão (1995-2006). In:   (Org.), O papel do Congresso Nacional no presidencialismo de coalizão. Rio de Janeiro, Konrad-Adenauer-Stiftung.

MONTESQUIEU, Charles de Secondat, Baron de. O Espírito das Leis. São Paulo, Martins Fontes. 1996.

MOTA, Ana Carolina Yoshida Hirano de Andrade. (2006). Accountability no Brasil: os cidadãos e seus meios institucionais de controle dos representantes. Tese (Doutorado), Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

O’DONNELL, G. (1991). Democracia delegativa?, Novos Estudos CEBRAP, São Paulo, n. 31, p. 25-40.

PEREIRA, José Matias. (2005). Reforma do Estado e Controle da Corrupção no Brasil.  Revista de Administração Mackenzie,v. 4, n.1, p. 39-58.

POWER, Timothy J.; GONZALEZ, Júlio. (2003). Cultura política, capital social e percepções sobre corrupção: uma investigação quantitativa em nível mundial. Rev. Sociol. Polít., Curitiba, n. 21, p. 51-69, Nov. 2003.

POWER, Timothy J.;  JAMISON, Giselle D. (2005). Desconfiança política na América Latina. Opinião Pública, Campinas, v. 11, n. 1, p. 64-93, Mar. 2005.

QUEIROZ, Leon Victor. (2008). Instituições e accountability na teoria democrática contemporânea. Teoria e sociedade, n.º 16, p. 232-255, Jan./Jun. 2008.

RENNO, Lucio R. (2007). Escândalos e voto - as eleições presidenciais brasileiras de 2006.  Opinião Pública, Campinas, v. 13, n. 2, p. 260-282, Nov. 2007.

RODRIGUES, M.M.A. (2010). Políticas públicas. São Paulo: Publifolha.

ROLNIK, R. (2003). A cidade e a lei. São Paulo: Nobel.

SOUZA, C.(2006).  Políticas públicas: uma revisão da literatura, Sociologias, Porto Alegre, ano 8, nº 16, jul/dez, p. 20-45.

SACRAMENTO, Ana Rita Silva. (2005). Contribuições da Lei de Responsabilidade Fiscal. Revista do Centro de Estudos de Administração Pública e Governo, São Paulo, v. 10, n. 47, Jul./Dez. 2005.

SILVA, Marcos F. G. da. (2000). Corrupção e desempenho econômico. Cadernos Adenauer, São Paulo, n. 10, p. 63-78.

SPECK, Bruno Wilhelm (org.). (2002). Caminhos da transparência: análise dos componentes de um sistema nacional de integridade. Campinas, SP: Editora da Unicamp.

TAYLOR, Matthew M. Como o judiciário brasileiro interfere nas políticas públicas. 2007.